Produção

Produção


Nossa produção é constituída de mudas feitas em laboratório, tendo assim uma padronização das mudas e a qualidade de nossas frutas. Os cachos de bananas passam por um processo de ensacamento, evitando o contato com agentes nocivos e insetos que possam danificar a fruta ou até mesmo prejudicar a saúde de nossos clientes. A determinação do ponto de colheita, na prática, é muito influenciada pela experiência do produtor, o qual, invariavelmente, através de avaliações visuais, reconhece o melhor momento de iniciar a colheita dos cachos.

A colheita, propriamente dita, deve ser iniciada através de um corte no pseudocaule, próximo da inserção do engaço, com o auxílio de facão ou varas com lâminas na extremidade, neste ponto começa a fase da pós-colheita.
A pós-colheita de uma fruta começa no momento da separação desta de sua fonte produtora (a planta) e se estende até que a mesma atinja o consumidor final e seja consumida. O processo produtivo é acumulativo e o produto colhido representa o resultado do tempo, terra, mão-de-obra, insumos e demais componentes necessários à produção. A obtenção de um produto de alta qualidade é a meta de nosso processo de produção.

Trata-se de um sistema que utilizamos para o transporte dos cachos até os galpões, onde os cachos são pendurados por meio de uma corda a um gancho que contém um par de roldanas que deslizam sobre um cabo de aço, e com isso, evita o manuseio da fruta que é bastante suscetível a danos físicos desde o transporte até a comercialização.

Lavagem/
Embalagem


Já com as frutas nos Cabos Aéreos, elas são direcionadas para os galpões onde passam por vários tratamentos. O primeiro deles é o despencamento. O segundo é a dispistilagem, que consiste em retirar os pistilos que ficam na ponta da banana. E o terceiro passo é a lavagem com água potável, o que melhora a aparência e durabilidade da fruta no pós-colheita.

O próximo passo do tratamento é a classificação das bananas por grupos. Após a seleção das melhores, as bananas são embaladas, paletizadas e enviadas para o CEAGESP em São Paulo e para o CEASA em Campinas onde é feita a climatização e a distribuição das frutas. As frutas de qualidade inferior denominadas descarte são enviadas para as indústrias alimentícias ou até mesmo para o uso como adubo orgânico.

Climatização


Em condições naturais, o amadurecimento da banana é desuniforme, devido a formação de frutos em pencas com diferentes idades, apresentando, geralmente, de 10 a 15 dias de diferença de idade, em função do florescimento e do desenvolvimento da fruta. Isso revela a importância da climatização da banana, que resulta num amadurecimento mais uniforme.

As câmaras de climatização são utilizadas com o objetivo de controlar o amadurecimento, em períodos que duram de 4 a 10 dias, levando em conta alguns fatores como temperatura, umidade relativa, gás ativador do amadurecimento, ar atmosférico e circulação de ar e exaustão.
Para monitorar o amadurecimento das bananas, são utilizadas escalas de coloração da casca das frutas, as quais servem como indicativo do grau de maturidade atingido pelas frutas submetidas à climatização.

Visualizando o processo


Veja no vídeo simplificado como funciona nosso processo de produção, desde o plantio a entrega, passando pela Desfolha, Desvio de Filha, Desflora, Ensacamento, Calibração da Fruta, Cabo Aéreo, Controle de Idade do Cacho, Lavagem, Seleção e Embalagem

Campinas/SP

+55 19 3246.0034

CEASA - Rodovia Dom Pedro I, km 140,5 Jardim Santa Mônica
Ribeirão Preto/SP

+55 16 3638.8171

CEAGESP - Rod. Anhanguera, km 322 Distrito Industrial
São José do Rio Preto/SP

+55 17 3212.9498

CEAGESP - Av. João Batista Vettorazzo, 1600
São Paulo

+55 11 3643.7315

CEAGESP - Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 Vila Leopoldina